Eles estão nas nossas primeiras lembranças, desde pequenos, muito antes de aprendermos a ler já tínhamos os nossos livros, eram livros de histórias, contos de fada, faz de conta ou mesmo somente com imagens.

Os livros sempre fizeram parte da vida de qualquer pessoa, sempre acessíveis em livrarias ou bibliotecas para empréstimo ou locação.

São os grandes responsáveis pela criatividade, imaginação, aprendizado enfim são responsáveis por muitas habilidades que temos ou que aprendemos a desenvolver.

Eu particularmente comecei a minha história profissional diagramando livros, montando projetos gráficos, criando capas, acompanhando a impressão nas gráficas e agora me deparo com um novo caminho para esse nosso companheiro de vida, a versão digital.

Seja ela e-book, e-pub, pdf ou aplicativos é muito complicado aceitar, pois não nascemos com um tablet na mão e sim com livros impressos, mas em um determinado momento encontro o filho de 3 anos de uma grande amiga usando um tablet, era um aplicativo onde a criança tinha que reconhecer se o som era agudo ou grave, reconhecer o instrumento musical e ainda reconhecer os grandes compositores e nesse momento consegui quebrar o meu paradigma com relação a esse assunto.

Percebi que o que temos hoje não é algo que vai nos distanciar da cultura ou das nossas tradições o que temos é simplesmente algumas ferramentas que possibilitam que bons conteúdos cheguem ao nosso conhecimento, o novo desafio é continuar criando bons conteúdos e agora com recursos incríveis, possibilitando áudio, vídeos e interação.

Quando escrevi este artigo pensei na minha experiência como leitora e principalmente como produtora de projetos editoriais e acredito que o meu lado leitora foi muito mais receptivo a toda essa tecnologia, justamente porque o desafio profissional é assustadoramente inovador e com absurdas possibilidades criativas.

Sejam bem vindos, escritores e editores!